sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A falácia da "justiça social", segundo Freud.

"Quem, na sua juventude, viveu as desgraças da pobreza e experimentou a indiferência e arrogância dos abastados, deveria estar a salvo da suspeita de não ter compreensão e boa vontade para com os esforços de combater a desigualdade material entre os homens e tudo o que dela deriva. No entanto, se esta luta invocar a igualdade entre os homens como exigência abstrata de justiça, é fácil objetar que a natureza, dotando os indivíduos de aptidões físicas e talentos intelectuais desiguais, introduziu injustiças contras as quais não há remédio" Sigmund Freud

Nenhum comentário:

Postar um comentário